“O Jovem Karl Marx”chegou às salas de cinema portuguesas

sexta, 21 abril 2017 00:22 Escrito por 
“O Jovem Karl Marx”chegou às salas de cinema portuguesas D.R.

Chegou às salas de cinema portuguesas na noite de hoje, “O Jovem Karl Marx” de Raoul Peck e que estreia em simultâneo em Braga, Porto, Lisboa e Cascais.

Marx encontra, em 1844, em Paris, para onde se exilou, Friedrich Engels, filho de um industrial.
Engels filho de um industrial, membro da odiada burguesia, mas preocupado com as condições de trabalho dos operários de seu pai, tinha feito um trabalho de investigação sobre o surgimento e condições da classe trabalhadora britânica.

Será esta a última ou talvez uma das últimas peças que faltavam a Marx, para construir a sua visão dum novo mundo.

Estreada no Festival de Berlim, e falada em alemão, francês e inglês, este relato ficcionado dos primeiros anos da vida intelectual de Marx é abordado de forma leve suavizando a violência dos hábitos e da vida das gentes trabalhadoras.

Raoul Peck consegue colocar toda a ideologia nascente em movimento tal como coloca em movimento os percursores da mesma.
Marx vai de Berlin para Londres, de Londres para Paris de Paris

Para tal contribuíu, e talvez muito, a parceria criada com Pascal Bonitzer, na construção do argumento, tal como aconteceu à dupla Engels e Marx na redacção do Manifesto Comunista.

Mas o filme “O Jovem Karl Marx” é sobretudo a história de um encontro e da amizade que daí surgiu, Marx e Engels.

Mas Peck não esquece outras vozes conscientes das desigualdades sociais resultante de industrialização europeia , mal conseguida, estávamos em 1840, que junta masi duas vozes a toda a discussão as dos anarquistas Pierre Proudhon e Wilhelm Weitling.

Mas o que salta deste filme é a amizade nascida de uma discussão ideológica, mas que permanece apesr de todas as vicissitudes. Marx é o único com família para sustentar, uma mulher dedicada à causa, vinda da corte austríaca.

Friedrich Engels, é filho de um industrial, um verdadeiro dandy, namoriscando uma operária.


No entanto as suas críticas convergem para o mesmo objectivo. Das críticas à“Crítica da Crítica”acaba por nascer a nova ordem “Proletários de todo o mundo-uni-vos” eo Manifesto Comunista a cartilha de todos os Partidos comunistas.
Do elenco fazem parte August Diehl (Karl Marx), Stefan Konarske,( Friedrich Engels) Vicky Krieps (mulher de Max”