Museu do Palácio da Ajuda acolhe exposição do pintor romeno Gheorghe Fikl

sábado, 13 maio 2017 01:02 Escrito por 
Museu do Palácio da Ajuda acolhe exposição do pintor romeno Gheorghe Fikl D.R.

O Museu do Palácio Nacional da Ajuda irá acolher, de 16 de Maio a 31 de Agosto de 2017, uma exposição do pintor romeno Gheorghe Fikl.

Conforme a régie feita pela comissária da exposição, a Prof.ª Dr.ª Ileana Pintilie, as obras do artista serão inseridas por entre os objectos da exposição permanente do museu e encontrarão o auge num grupo compacto instalado na Sala do Corpo Diplomático.”, refere a nota de imprensa

O projecto “Fikl. Portuguese Storylines/ Fikl. Encenações portuguesas” está a ser organizado para marcar os 100 anos de relações diplomáticas luso-romenas pela Embaixada da Roménia em Portugal, a Fundação Bonte, o Instituto Cultural Romeno em Lisboa, a Direcção-Geral do Património Cultural e o Palácio Nacional da Ajuda.

A iniciativa visa trazer para o primeiro plano o pintor Gheorghe Fikl, “representativo para a jovem geração dos artistas romenos, que, após o ano de 2000, abraçaram a arte neofigurativa. Ao interessar-se por temas do barroco tardio, do qual escolhe preponderantemente o insólito dos assuntos, bem como o dramatismo do claro-escuro ou a sensualidade cromática, Fikl costuma recompor um universo individual feito de vários fragmentos amalgamados de forma híbrida. Ele faz uso dessa retórica para criar composições fastuosas, às vezes dramáticas, frequentemente estranhas e ocasionalmente decorativas, conseguindo ser ainda mais convincente nas sábias trompe-l’oeil que ele aplica à sua pintura.”(Ileana Pintilie)


“Fikl. Portuguese Storylines/ Fikl. Encenações portuguesas” é para o artista um confronto com um fastuoso espaço régio que, tanto do lado arquitectural quanto daquele dos detalhes barrocos – dos móveis às esculturas e quadros, definem o génio artístico português. “Verdadeira provocação para a pintura do artista romeno, que está a palpitar sem repouso à espera de um encontro com o passado ou com a memória dos lugares.”


O evento está integrado no âmbito do programa ARCO Lisboa, Feira Internacional de Arte Contemporânea, e reúne uma série de obras oriundas de notáveis colecções privadas (a título de exemplo mencionamos, entre outras, a colecção da Fundação Bonte ou a colecção privada da Sua Alteza Real o Príncipe Carlos de Gales) apresentadas em Lisboa graças ao apoio do coleccionador Alain Bonte.

A mostra estará aberta todos os dias das 10:00 às 18:00 (última entrada pelas 17:30). Às quartas-feiras o Museu estará fechado.