Para a mulher de Tordo 200 mil euros "não é muito dinheiro para um período de cinco anos"

sexta, 21 fevereiro 2014 19:35 Escrito por 
Para a mulher de Tordo 200 mil euros "não é muito dinheiro para um período de cinco anos" Lux

A empresa Stardust Produções, gerida por Fernando Tordo, encaixou mais de 200 mil euros por ajuste directo do Estado desde 2008, revelou hoje o Jornal i.

Nos últimos dias tem-se falado de Fernando Tordo a propósito do facto de o cantor ter emigrado para o Brasil, "desiludido" com o seu país e enfatizando as "condições precárias" que Portugal oferece para a actividade artística.

O Jornal i retoma hoje o tema, revelando que a empresa Stardust Produções, gerida pelo cantor, recebeu desde o momento da sua criação, em 2008, mais de 200 mil euros por ajuste directo. A informação está disponível no Portal BASE – Contratos Públicos Online, indicando que a firma de Fernando Tordo terá auferido este montante pela produção de espectáculos.

Ou seja, a Stardust foi contratada por diversas entidades públicas, sobretudo, Câmaras Municipais, além de associações culturais, sendo que o pagamento de todos estes concertos foi adjudicado através da empresa que tem em Tordo o seu sócio-gerente.

Em declarações ao i, a mulher do cantor esclarece que o mesmo deu emprego a 26 músicos, "fora técnicos de som e de luz", nos últimos anos, pelo que recebeu apenas "cerca de 10% do valor" total das adjudicações directas.

"E mesmo que tivesse recebido 200 mil euros, que não recebeu", assinala Eugénia Passada, "não é muito dinheiro para um período de cinco anos".

Enfatizando que as recentes afirmações do marido em nada se prenderam com uma tentativa de "despertar pena", concretiza: "Ele precisava de trabalho e tomou a decisão de ir para fora".