Salvador Sobral "não sou um herói, esse papel é do Ronaldo"

domingo, 14 maio 2017 17:32 Escrito por 
Salvador Sobral "não sou um herói, esse papel é do Ronaldo" Jornal Hardmusica

“Não sou um herói, esse papel é o Ronaldo” afirma Salvador Sobral na sua chegada a Lisboa, onde uma multidão eufórica equase delirante o aguardava.

Após a chegada, com milhares de pessoas a aclamá-lo, e ainda não tinha saído da área de segurança, Salvador Sobral e a irmã Luisa tiveram uma conversa curta com os jornalistas presentes.
“Espero que a música portuguesa passe a ser encarada de outra forma” afirmou Salvador acrescentando “ para o ano vamos ter aqui o festival, peço desculpa à RTP, porque é preciso gastar dinheiro mas também é bom. Em termos musicais e para o turismo.”

Salvador visivelmente cansado, mas com a calma que lhe conhecemos, afirma, “sei que daqui a três meses isto passa e já ninguém se lembra (vai ser difícil Salvador, dizemos nós), e o que tenho a fazer é continuara a fazer a minha música e ser feliz a tocá-la.”

Quanto à fama e o permanente assédio dos fans Salvador afirma: “gosto que me digam que gostam da canção, mas detesto as fotografias, quando estou a comer, a falar até a dormir. Invade o meu espaço”.

Por se ter cantado em português, Luisa Sobral esclarece que tanto escreve em português como em inglês. Neste caso só fazia sentido ser em português: “quando representamos o nosso país devemos fazê-lo na nossa língua que é aliás bem bonita, não tão agressiva como alguns pensam. E as pessoas perceberam a canção porque perceberam o que o Salvador estava a sentir. Isso foi o mais importante.”

Relativamente aos prémios, o grande vai para casa dos pais e o “pequenino vai para a RTP, eles obrigaram-nos”, gracejou o cantor.
Luisa Sobral agradeceu á delegação da RTP a forma como aceitou as diferenças dos artistas não impondo quaisquer alterações que não agradassem.

Salvador, que tinha como favorita a canção italiana porque tinha uma mensagem, pensa que talvez agora a música portuguesa passe a ser reconhecida na nossa radio de outra forma, porque estão quase sempre viradas para a América. “Eu nunca passei na Rádio Comercial ou na RFM”, lembrou Salvador. E finalizou: “termos ganho com uma canção assim pode ser que mude alguma coisa”, exclamando de seguida,” é incrível termos ganho com uma canção assim"

Modificado em domingo, 14 maio 2017 17:56