Portugal perdeu mais um dos seus melhores criativos, Ricardo Mealha

domingo, 25 outubro 2015 19:44 Escrito por 
Portugal perdeu mais um dos seus melhores criativos, Ricardo Mealha D.R.

Moreu ontem o criativo Ricardo Mealha, que entre muitos projectos foi responsável pelo desenho gráfico do Ministério da Cultura, o Teatro Nacional de São Carlos, Biblioteca Nacional, Banco Espírito Santo, seguradora Fidelidade Mundial, hóteis Tivoli, Grupo Vista Alegre/Atlantis, ModaLisboa, discoteca Lux Frágil, entre outros.

O Clube de Criativos de Portugal enviou um comunicado onde "lamenta o desaparecimento demasiado prematuro de uma das mais importantes figuras do design e da criatividade nacional dos nossos tempos". Ricardo Mealha foi daqueles que "esteve sempre na vanguarda e contribuiu activamente para o estatuto que o design português hoje possui". Por parte do Clube, um "grande obrigado pela dedicação à profissão e a certeza que o seu trabalho é exemplo e será por nós lembrado como referência para as futuras gerações de criativos portugueses".

Ricador Mealha foi Designer Gráfico e Director Criativo, foi responsável pelo desenho gráfico do Ministério da Cultura de Portugal, criado em 1997 e dos 12 organismos e serviços a ele ligados, incluindo o Teatro Nacional de Ópera de São Carlos, Biblioteca Nacional, o Instituto do Cinema e do Audiovisual e o Instituto dos Museus e da Conservação.

Nascido em Lisboa a 22 de Outubro de 1968, fundou o atelier RMAC–Ricardo Mealha/Ana Cunha, que depois vendeu ao grupo BBDO Portugal. Desde 2014 era director criativo da Brand Gallery.

Manuel Reis, proprietário da discoteca Lux-Frágil, disse que "há mais de 20 anos que o Ricardo Mealha é meu cúmplice. Foi com ele que trabalhei a identidade gráfica de quase todos os projectos em que me envolvi. Entre as muitas qualidades que lhe reconheço talvez a mais importante seja a sua capacidade de arriscar, de experimentar e de fazer diferente".

Entre muitos outros projectos, foi responsável criativo pela imagem do Banco Espírito Santo, seguradora Fidelidade Mundial, hóteis e resorts de luxo Tivoli, Grupo Vista Alegre/Atlantis e, na área da cultura, do Museu da Presidência da República e Casa das Histórias Paula Rego, dois dos mais visitados museus de Portugal.

Nos anos 90 trabalhou na Young Rubicam e na Novodesign e em 1996 fundou o estúdio de design RMAC, Ricardo Mealha/Ana Cunha, Brand Design. Em 2006 RMAC foi adquirida plea à BBDO Portugal tornando-se parte da BBDO Worldwide Network.

Realizou também projectos de design gráfico para Associação ModaLisboa, discoteca Lux Frágil, hotéis Altis Belém e Altis Avenida, Fundação EDP, Museu do Chiado, MNAA, Experimentadesign, TMN, Azeite Gallo e o Serviço de Música da Fundação Calouste Gulbenkian. Desde 1997 foi distinguido com mais de 80 prémios em concursos portugueses e internacionais, incluindo:
Gold Award winner e 12 nomeações no International Forum Design, Alemanha (http://www.ifdesign.de)
5 nomeações para o DesignPreis Award de 2007, na Alemanha (http://www.designpreis.de)
Membro do D AD de Inglaterra, premiado no ID Design Awards dos Estados Unidos e no Print European Design Awards em vários anos.