“Muros” abre festival DDD no São João do Porto

domingo, 16 abril 2017 03:20 Escrito por 
“Muros” abre festival DDD no São João do Porto D.R.

“Muros”, uma criação de Né Barros segue a temática da fronteira e zona de perigo e aborda a figura do refugiado que é travado por barreiras visíveis e invisíveis

Os temas da paisagem, lugar, fronteira e zona de perigo não são uma novidade no trabalho de Né Barros. Já desde “Vooum”, em 1999, até “Landing” (2013), estas ideias-chave têm tido um papel preponderante nas criações da coreógrafa, desencadeando agora perturbantes ressonâncias no nosso presente, marcado pelas figuras do refugiado, do exilado e do deslocado. Né Barros está de regresso à programação do Teatro Nacional São João (TNSJ) com um espectáculo que continua a abordar estes conceitos. Muros estreia a 27 de Abril.


“Muros”, espectáculo de abertura do Festival DDD – Dias da Dança, incide sobre as barreiras, sejam elas visíveis ou invisíveis, materiais ou virtuais, que impõem uma distância e uma imobilidade. Num momento em que a Europa atravessa a maior crise dos refugiados da História moderna, Né Barros propõe-se falar dos vários tipos de muros que separam os seres humanos: de pedra, de arame, transparentes, de água, psicológicos. Para isso, contou com a colaboração de João Mendes Ribeiro para criar um dispositivo cénico que separa os corpos dos bailarinos (Bruno Senune, Elisabete Magalhães, Flávio Rodrigues, Gonçalo Cabral e Joana Castro) durante a coreografia.

O espectáculo conta, ainda, com Ana Deus – vocalista da banda Osso Vaidoso – no elenco, que dará voz ao texto da escritora Eugénia Vilela e a excertos de poemas do romeno Paul Celan e do francês Robert Desnos.
Diz-nos Né Barros que “Muros” convoca “imagens e zonas de conflito e resistência”, no qual o som e a voz parecem ser o único veículo capaz de passar “mensagens de amor ou ódio, resiliência ou desistência”. A estilista Maria Gambina assina os figurinos do espectáculo e o desenho de luz é da responsabilidade de José Álvaro Correia.

“Muros” é uma coprodução Balleteatro e TNSJ e está em cena até dia 29 de Abril com horários especiais: na quinta-feira, pelas 21:30; na sexta, pelas 19:00; e no domingo, pelas 18:30. O projecto está integrado no programa internacional Non-Lieux de L’Exil (Collège d’études mondiales, Fondation Maison des Sciences de l’Homme, Paris.

No dia 27 de Abril, após o espectáculo, está agendada uma conversa com Né Barros, Ana Deus e Alexandre Soares (responsável pela música de “Muros”), com moderação de Ana Carvalho (coreógrafa).