Jorge Palma só como ele sabe

quarta, 07 dezembro 2016 19:26 Escrito por 
Jorge Palma só como ele sabe MC Crespo

Em noite comemoração dos 25 anos da edição do álbum “Só”, Jorge Palma esteve acompanhado pelos muitos fãs que esgotaram o grande auditório do Convento de São Francisco em Coimbra.

Jorge Palma apresentou-se a solo, acompanhado apenas pelo piano, num concerto impar, intimista e despido de artefactos. Foi um reencontro com a essência do cantautor ao longo de duas horas de espetáculo.
“Só” é um dos discos mais emblemáticos da carreira de Jorge Palma e a sua primeira coletânea. Editado em 1991 revisitava, sem mais arranjos, temas dos discos das duas décadas anteriores. Na noite de 6 de Dezembro recordámos estas canções com o mesmo entusiasmo de há 25 anos, interpretadas de forma única com a alma de quem as sente e conhece bem.

“Viagem na palma da mão” marcou o início desta viagem musical, ao qual se seguiram outros temas intemporais e incontornáveis da carreira do músico.
“O meu amor existe”, “Terra dos sonhos”, “Essa miúda”, “ A canção de Lisboa”, “Estrela do mar”, “À espera do fim”, “Dizem que não sabiam quem eu era”, “Valsa de um homem carente”, “Passos em volta”, “Balada de um estranho”, “Lado errado da noite”, “Disse fêmea”, fizeram parte do alinhamento assim como os temas mais conhecidos “Só”, “Deixa-me rir”, “Bairro do amor” dedicado à equipa do centro cirúrgico de Coimbra, “Jeremias o fora da lei”, “Frágil”, “A gente vai continuar” ou “Dá-me lume” foram acompanhados pelo coro de vozes da plateia. Jorge Palma que disse “não gosto de concertos longos”, ainda agraciou os fãs com um instrumental inspirado no tema infantil Frère Jacques, uma sonata de Beethoven (um desafio lançado pela mãe quando era criança), Forever Young" de Bob Dylan e surpreendeu o público ao tocar um tema inédito que está a escrever para um novo álbum.


A encerrar esta noite de (boas) memórias não podia faltar o sempre aguardado “Portugal, Portugal”. Marcantes foram, também, as imagens que acompanharam todo o concerto e assinalam por si só uma viagem pela carreira do artista.

Jorge Palma agradeceu à vida, aos técnicos, à equipa de produção e ao público espetacular que o recebeu. O público agradeceu-lhe com uma estrondosa ovação, com a certeza que Jorge Palma não está só e, ao contrário de Amélia, estivemos no lado certo da noite.

Este foi o quinto de seis concertos intimistas que celebram o quarto de século do álbum “Só”, encerrando a tournée no próximo dia 10, em Faro, no Teatro das Figuras.

Modificado em quinta, 08 dezembro 2016 16:35