José Alegre leva a guitarra portuguesa ao Museu de Olhão

quarta, 01 março 2017 15:46 Escrito por 
José Alegre leva a guitarra portuguesa ao Museu de Olhão D.R.

No âmbito da programação do 365 Algarve, o Museu Municipal de Olhão acolhe esta sexta feira, dia 3 de março, um concerto do músico José Alegre, intitulado “Retratos de Alma Caminhos da Guitarra Portuguesa”.

Nesta apresentação, o público é convidado a embarcar numa viagem sonora imaginária pelos vários universos da guitarra, desde a sonoridade romântica e cheia de dramatismo da guitarra coimbrã até ao trinado dos guitarristas de Lisboa mais ligados à tradição fadista.”, refere a nota de imprensa


Para além das duas guitarras e escolas referidas, será também apresentado o guitolão, guitarra portuguesa barítono, instrumento do qual só existem três exemplares, idealizado por Carlos Paredes e construído pelo mestre Luthier Gilberto Grácio.


Será executado reportório da autoria de Gonçalo, Artur e Carlos Paredes, José Nunes, Casimiro Ramos e Custódio Castelo, bem como temas originais, música antiga e mediterrânica.


A guitarra portuguesa tem raízes históricas na família das cítaras renascentistas, com grande expansão nos séculos XVI e XVII em toda a Europa, mas com especial incidência na bacia mediterrânica.
A persistência deste instrumento em Portugal deve-se quase exclusivamente à sua utilização na música de expressão oral e ao desenvolvimento e consolidação do género que evoluiu ao longo do seu percurso, transportando consigo o nome de um país e a alma de um povo.

José Alegre nasceu em Lisboa em 1963 e iniciou o seu trajecto musical de forma autodidacta nos primeiros anos da adolescência. “Considera a música como um mundo aberto e sem fronteiras, repartindo a sua prática por vários instrumentos, e os seus interesses por áreas tão diversas como a música histórica, o rock, o fado, a música tradicional portuguesa e muitas outras formas étnicas com que se cruza.”

Em 1997, concluiu os estudos de guitarra clássica no Conservatório Regional do Algarve. Iniciou-se na guitarra portuguesa em 2002 com o guitarrista Miguel Drago, mas a partir de 2005 passa a trabalhar com regularidade com o guitarrista e compositor Pedro Caldeira Cabral, numa perspectiva mais abrangente.

Em Setembro de 2008, iniciou os seus estudos na Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco onde concluíu a primeira licenciatura em guitarra portuguesa orientada pelo músico, compositor e produtor Custódio Castelo.


Actualmente frequenta o Mestrado em Ensino de Música, variante Instrumento e Música de Câmara, e lecciona guitarra portuguesa nos conservatórios de Portimão, Lagoa e Loulé.


No que respeita ao 365 Algarve pode dizer-se que é um programa cultural que complementa a oferta tradicional da região com mais de mil apresentações de música, dança, teatro, exposições, animação de património, entre outras.

A primeira edição decorre desde Outubro de 2016 e até Maio de 2017 e os eventos acontecem em todo o território algarvio.