Wagner antecipou a Primavera Musical no CCB

sexta, 10 março 2017 01:54 Escrito por 
Wagner antecipou a Primavera Musical no CCB D.R.

Estreou na noite de ontem no Centro Cultural de Belém a ópera de Wagner, “Tristão e Isolda”com Elisabete Matos na protagonista.

Tristão e Isolda é mais uma daquelas histórias de amor quase impossível, que Wagner foi buscar ao cancioneiro da poesia medieval germânica.
A história dos dois apaixonados é transformada por Wagner numa extraordinária peça musical.
Harmonia e melodia de forma entusiástica contam a história dos apaixonados, a tristeza e o desaparecimento final.
Acrescente-se a interpretação de todos os intervenientes. Elisabete Matos foi excelente na sua Isolda, segura de voz, bom timbre, não se excedendo nos agudos como por vezes acontece.
Erin Caves, um norte americano foi um Tristão certo no seu desempenho, por vezes talvez um pouco nervoso.
Luis Rodrigues foi Kurwenal, o companheiro de Tristão e seu confidente. Excelente e seguro na sua interpretação dando-lhe toda a tragédia que o personagem encerra.
Kristinn Sigmundsson foi o Rei Marke. Um baixo de voz potente e boa capacidade interpretativa.

Bem dirigida por Graeme Jenkins, a Orquestra Sinfónica Portuguesa esteve ao nível a que nos habituou, que é sempre elevado.
E foi pela sua execução que esta composição de Wagner fez levantar o esgotadíssimo Grande Auditório do Centro Cultural de Belém quando se ouviu o último acorde.
O programa repete no dia 12, pelas 15:00.

Modificado em sexta, 10 março 2017 02:01