Mulheres no Cinema Ibero-Americano no FESTin inaugurou com pouca afluência

Mulheres no Cinema Ibero-Americano no FESTin inaugurou com pouca afluência

No segundo dia do FESTin - Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa, assistimos ao primeiro filme da Retrospectiva Margarida Gil e ao segundo filme da Mostra de Cinema Brasileiro.

No ciclo Mulheres no Cinema Ibero-Americano, iniciou-se a Retrospectiva da realizadora portuguesa, Margarida Gil, com o filme "O Fantasma de Novais".

A sessão decorreu às 18:30, hora em que na sala ao lado decorria uma Mesa Redonda intitulada "A Mulher no Audiovisual" e meia hora depois iniciava um filme de co-produção Espanha e Uruguai, inserido no mesmo ciclo da Retrospectiva. Com isto tudo as salas acabaram por ter pouco público, sendo a mais "penalizada" a de Margarida Gil com apenas oito espectadores. Tentámos obter uma explicação para esta sobreposição de horários, e a directora Adriana Niemeyer referiu "não tínhamos como fazer a projecção [da co-produção Espanha/Uruguai] em outro horário por questões que se relacionam com a embaixada". Podemos também acrescentar que quem esteve nessa sessão não teve como poder ver um dos destaques da noite, exibido pelas 20:30, "Animal Político" por haver sobreposição de horários.

Na Guimarães de hoje, Ana (Cleia Almeida) tenta desesperadamente acabar um trabalho de pesquisa sobre Joaquim Novais Teixeira, vimaranense desaparecido em Paris em 1972. Faltam-lhe o tempo e as forças para editar as horas de entrevistas que recolheu e pede ajuda a Sofia (Maria Raquel Correia) e a Jacinto (Miguel Nunes), cujo maior empenho é dormir. Todos se acabam por emaranhar no véu do fantasma do Novais e de se deixar seduzir por esta figura incontornável.
Num constante cruzamento entre o passado e o presente, entre a ficção e o documentário, o filme atravessa diferentes cidades, épocas cruciais do século passado, reflectindo a história do país e do mundo através das palavras dos que o conheceram, e o recordam com saudade e incomparável admiração.

Depois do filme de abertura, a Mostra do Cinema Brasileiro, continuou com a projecção de "O filho Eterno". Descobrir, minutos após o nascimento, que o seu filho tem Trissomia 21 pode provocar uma grande confusão de sentimentos no primeiro momento ou até durante muito tempo. O escritor Cristovão Tezza passou pela experiência e fez um franco e duro relato dessa experiência. Depois de ser adaptada e se tornar um grande sucesso teatral, a história no cinema é protagonizada por Marcos Veras, Débora Falabella e o menino Pedro Vinícius.

terça, 14 Nov. 2017 10:00 – domingo, 31 Dez. 2017 17:00
Campo Grande 245, Lisboa, Lisboa

terça, 14 Nov. 2017 10:00 – domingo, 17 Dez. 2017 18:00
Campo Grande 245, Lisboa, Lisboa

captcha