“Muro” Festival de Arte Urbana regressa em Maio, em Marvila

“Muro” Festival de Arte Urbana regressa em Maio, em Marvila

“Muro” Festival de Arte Urbana regressa em Maio, em Marvila D.R.

No âmbito de “Passado e Presente-Lisboa Capital Ibero Americana da Cultura” regressa de 23 a 25 de Maio o “Muro, Festival de Arte Urbana_Lx17

O Festival MURO irá decorrer entre os dias 25 e 28 de Maio, em Marvila, organizado pela Galeria de Arte Urbana do Departamento de Património Cultural da Câmara Municipal de Lisboa, em parceria com a GEBALIS, a Junta de Freguesia de Marvila e as Bibliotecas de Lisboa.

A programação do Festival, que fooi apresentada na tarde de ontem, 27 de Abril, integra intervenções artísticas, visitas guiadas e workshops de arte urbana, concertos e espectáculos, debates, aulas de skate, encontros de hip-hop, exposições de arte urbana e de fotografia e outras actividades de animação de rua, em quatro dias de festa e convívio entre a comunidade da arte urbana, a população de Marvila e da Cidade, e os seus visitantes.

Na área da produção artística prevê-se a realização de um conjunto de 15 obras de grande escala em empenas de edifícios situados nos bairros zona envolvente à Biblioteca de Marvila, a que se juntam outras superfícies noutros suportes que no total do Festival perfazem uma área de intervenção artística de 4.000m2.”, refere a nota de imprensa.

A curadoria do festival definiu-se em três vertentes: por um lado a participação de criadores nacionais, assegurada pelos artistas GODMESS, HAZUL, KRUELLA D’ENFER, MIGUEL BRUM e LS (AK Crew); por outro lado e tendo em conta a celebração cultural internacional a acontecer em Lisboa, assegurar a presença de artistas provenientes de outros países ibero-americanos, designadamente, GLEO (Colômbia), KOBRA (Brasil), STEEP (Equador), ZESAR BAHAMONTE (Espanha) e CIX MUGRE (México); por fim e por forma a possibilitar a participação de outros artistas no Festival, os artistas vencedores dos cinco concursos lançados para a concepção e realização de cinco intervenções artísticas em empenas: Alecrim (Portugal), Colectivo Medianeras (Argentina), Jhon Douglas (Brasil), Krammer (Brasil) e The Caver (Portugal).

Para o trabalho com a comunidade local, campo no qual a arte urbana pretende desempenhar um papel importante ao nível da inclusão cultural e social, bem como no diálogo inter-geracional, a Galeria de Arte Urbana convidou o criador venezuelano FLIX a realizar uma residência artística de um mês, onde desenvolverá um projecto site-specific num conjunto de suportes diversificados no território de Marvila, destinado sobretudo ao envolvimento da população juvenil destes bairros.


À semelhança do sucedido em 2016 no Bairro Padre Cruz, a opção territorial para a realização do Festival em Marvila e mais especificamente na área envolvente da nova Biblioteca de Marvila - equipamento municipal cultural âncora da zona oriental de Lisboa - possibilitará a criação de um novo e importante núcleo de obras de arte urbana numa zona da cidade que responde positivamente à preocupação de descentralização, que sempre tem norteado a estratégia de actuação da GAU e do Pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Lisboa.

terça, 14 Nov. 2017 10:00 – domingo, 31 Dez. 2017 17:00
Campo Grande 245, Lisboa, Lisboa

terça, 14 Nov. 2017 10:00 – domingo, 17 Dez. 2017 18:00
Campo Grande 245, Lisboa, Lisboa

sábado, 18 Nov. 2017 00:00 – 23:59

captcha