×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 830

A rebeldia e irreverência de Capicua trouxeram surpresa ao Sol da Caparica

A atitude que Capicua mostra não arrastou os fãs, que esperam ansiosamente a chegada de Anselmo Ralph ao palco principal. Ainda assim, a artista centrou a atenção de todos os festivaleiros no concerto. Já António Zambujo faz o impossivel e transforma o grande Sol da Caparica num pequeno concerto muito intimista.

Quando Ceuzany abandona o palco chegou a vez de António Zambujo mostrar o que vale. Zambujo conseguiu o impossível e transformou o grande Sol da Caparica numa pequena sala com um concerto mega intimista. Num espectáculo com pouca comunicação com o público, onde só surgiram "obrigados", António Zambujo cantou temas como "Flagrante" (single do novo álbum - "Quinto"), "Lambreta" e "Não me dou longe de ti", entre outros, muito insoirados no cante alentejano. Zambujo, para Caetano Veloso, canta fado como João Gilberto canta bossa nova. O fadista fez um sucesso n'O Sol da Caparica.

Ceuzany entrou no palco SIC/RFM com uma energia estonteante e contagiante. A artista abriu o palco e o concerto com "Ultimo Chance" e todo o público se rendeu aos ritmos da estrela emergente da música cabo-verdiana. Com uma sensual presença durante a actuação e a potente e forte voz deixaram o público a dar uns passinhos de dança. Ceuzany gritou "Portugal?, Angola?, Cabo Verde?" e o público foi aplaudindo. Após tocar temas como "Mariana", "Só nós Dois" e "Nha Vida", entre outros, a cantora disse "Não podemos parar com isto". Este espectáculo esteve entre o som das mornas e o funaná.

Sensi  no palco Blitz fez várias referências a Anselmo Ralph durante o espectáculo, dizendo até que estava a preparar os fetivaleiros para o cabeça de cartaz do palco SIC/RFM. Dos temas do artista foram ouvidos "Dia-a-Dia", "Não dá para fugir" e "Introspecção", entre outras. O público parecia muito pouco inserido no concerto apesar das várias tentativas de Sensi. O artista dividiu ainda as luzes com Frankie Chavez e Selma Uamusse e neste momento a plateia já delirou um pouco. Muitos dos espectadores permaneceram sentados à espera de Frankie Chavez e Rita Redshoes.


Capicua entrou a matar no palco Blitz deixando o público boquiaberto com a sua irreverência, rebeldia e atitude. Sem dúvida que era impossível de desviar o olhar da rapper. A acompanhar a artista estava em muitos temas M7, também com uma presença única em palco. A cantora centrou o espectaculo no disco "Sereia louca" dedicado às mulheres e hoje, dia 16 de Agosto, dedicado especialmente às mulheres da Margem Sul, uma vez que foi uma estreia da artista na Costa da Caparica. O público acompanhava Capicua com muitos braços no ar e muitos aplausos. Interpretou "Sereia Louca", "Mulher do Cacilheiro", "Vinho velho" e "Casa no Campo", entre outras. O concerto foi fechado com a surpresa da presença de Aline Frazão para ajudar a cantar "Lupa", foi um momento inédito. Além desta surpresa o espectáculo encerrou definitivamente com "Vayorken" e a multidão que assistia ao concerto aplaudiu até não aguentar mais.


Com a chegada Aline Frazão deu-se início ao palco Blitz. A potente voz e a sensualidade da artista pegaram o público desde o início. Aline Frazão cantou e tocou para um espaço muito composto, quase todo sentado, num momento relaxante ao sons do jazz da artista. As influências brasileiras e africanas permitiram ainda  que alguns grupos tirassem os sapatos e dançassem descalços. Aline Frazão estava muito contente com este cenário e disse que assim estavamos "Maximizando a natureza". Das várias músicas interpretadas destacaram-se "Lugar Vazio", "Primeiro Mundo", "Assinatura de Sal" e "Céu da tua Boca", entre outras. Neste último tema um grupo de fãs iniciaram a música antes da artista e Frazão mostrou um grande sorriso. Aline Frazão fechou seu concerto com o single "Tanto" e despediu-se com uma "maré de obrigados" e com uma grande vénia ao público.

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade