Festival da Canção: Com tão fraca qualidade nem Simone de Oliveira se salvou...

A segunda semifinal do Festival da Canção teve tudo: boa música, saudosismo e a habitual polémica. Passaram à final Simone de Oliveira, José Freitas e Teresa Radamanto.

 

O Festival da Canção, nesta semifinal apresentado por José Carlos Malato e Sílvia Alberto, não escapou à já também tradicional polémica e mau gosto musical. Houve também momentos de qualidade e em que se vibrou com boa música.

Rubi Machado interpretou "Quando a lua voltar a passar" numa actuação sem alma e com um tema que tinha uma letra fraca e que não chegou ao público.

José Freitas, ex-concorrente do Factor X, levou ao Festival da Canção "Mal menor (Ninguém me guia à razão), da autoria de Churky (Diogo Rodrigues). Nervoso, esteve longe do que a sua projecção vocal permite. Má escolha de tema.

José Freitas em declarações ao Hardmusica discordou desta opinião, "sinto-me feliz com a actuação, estava nervoso mas depois deixei-me levar pelo tema", enquanto que o compositor referiu que "mais ninguém poderia cantar o tema como o José, foi muito bom".

Teresa Radamanto teve a melhor prestação da noite com "Um Fado em Viena", um tema com influencia do Fado e da Valsa Vienense, expressos na melodia e também no instrumentos que acompanharam em palco, a guitarra portuguesa e o acordeão. Teresa com uma voz que soube moldar, agarrou o tema com grande verdade e sentimento.

Com música de Renato Jr e letra de Tiago Torres da Silva, Simone de Oliveira levou ao Festival da Canção o tema "À espera das canções". Simone de Oliveira tem uma carreira brilhante. Simone será sempre um nome escrito em maiúsculas na cultura portuguesa. Simone não merecia passar pelo Festival da canção desta maneira. Um tema que declamou e não cantou, um tema que colocou a nu as fragilidades que se começam a sentir na sua voz. Um tema que esperemos não apague tudo o que de excelente fez ao longo de mais 50 anos de carreira. Renato Jr e Tiago Torres da Silva são também eles dois nomes grande na composição de temas e na escrita dos mesmos. Mas desta vez a grande qualidade dos intervenientes não resultou num produto de grande qualidade. Foi pena, pena que Simone tenha passado à final por ser Simone e não pela sua actuação.

Em declarações ao Jornal Hardmúsica, Tiago Torres da Silva disse que "numa reunião da SPA e o Renato falou-me nisto", de participar no festival,  sendo que o tema foi escrito "para um período de serenidade em que a Simone está, não está revoltada como em Sol de Inverno, e provou aqui que se pode estar bem em todas as fases da vida".

Não foi possível recolher declarações da artista visto a sua manager nos ter impedido de forma grosseira e num mau uso da palavra de efectuarmos o nosso trabalho. Lamenta-se ainda que a RTP, pela sua assessoria de imprensa, não tenha feito o que lhe competia, ser uma ponte entre as partes de modo a permitir que todos pudessem efectuar o seu trabalho.

Filipe Gonçalves, ex-concorrente da Operação Triunfo, levou a palco um enérgico "Dança Joana". Com influências soul music, este tema é claramente a imagem de Filipe Gonçalves mas talvez não fosse o mais adequado para um Festival da Canção. Contudo foi alegre e bem interpretado.

O cantor estava preparado para "esta imprevisibilidade" que depende do "público estar ou não aberto a novos géneros musicais", e "estamos um bocadinho presos ao passado". Considera um tema "festivaleiro e que tem tudo a ver comigo" e com um refrão que "toda a gente memorizou". Héber Marques, o compositor, disse que o tema "foi feito a pensar em ficar no ouvido das pessoas".

Diana Piedade encerrou as actuações com "Maldito Tempo" de Carlos Massa que construiu a letra e música. Boa voz mas num tema que ficou aquém.


Num medley dedicado ao Eurosvisão, com temas que se tornaram conhecidos, Simone de Oliveira esqueceu a letra, mas manteve a boa disposição em palco, incentivando os colegas e acenando ao público. Lúcia Moniz interpretou o tema português melhor classificado no Eurovisão, "O meu coração não tem cor".

O público decidiu passar à final os temas interpretados por Teresa Radamanto e Simone de Oliveira e os compositores escolheram o tema interpretado por José Freitas.

No próximo sábado realiza-se a grande final e onde se decide quem no representará no Eurovisão, em Viena na Áustria no mês de Maio.

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade