Vidas Suspensas, de Sofia Pinto Coelho, destaca "a nobreza da entrevista"

Vidas Suspensas, de Sofia Pinto Coelho, destaca "a nobreza da entrevista"

Vidas Suspensas, de Sofia Pinto Coelho, destaca "a nobreza da entrevista" D.R.

A jornalista Sofia Pinto Coelho regressa hoje para mais uma série de reportagens relacionadas com a justiça em Portugal.

Ao longo de oito semanas Sofia Pinto Coelho e Ribeiro Cristóvão abordam casos de pessoas cujas vidas se cruzaram com a justiça e que se mantém na expectativa de uma resolução.

Uns casos são simples... outros complicados, mas todos têm um desfecho incerto que mantém pessoas à espera de viver.

Seja com esperanças perdidas ou sonhos desfeitos, veremos histórias de luta pela justiça.

Depois de um grande trabalho de investigação em "Condenados", Sofia Pinto Coelho explicou-nos que "Vidas Suspensas" "não é tão complexo como outros que fiz anteriormente", uma vez que "exigiam mais investigação".

O que se destaca neste programa é "a nobreza da entrevista", uma vez que "os nossos entrevistados não são o Ministro, o Bastonário ou a pessoa institucional". Serão sim "pessoas..., pode ser o nosso vizinho do lado". Na prática "essas pessoas têm histórias, problemas, vidas", explicou a autora.

No primeiro episódio será contada a história do cidadão português preso há mais anos, 34. Embora nenhum cidadão possa ser condenado a mais de 25 anos de prisão, Delfim foi condenado a 40. Ou seja "no cumprimento dos primeiros 20 anos, por assaltos", não teve um bom comportamento na cadeia. Uma vez que "começou a fazer tráfico de droga, dentro da cadeia, e a ter castigos por ter telemóvel". Sofia Pinto Coelho explicou também que "cada vez que isso acontecia, levava penas grandes", pelo que "teve um computo de mais 20 anos".

A jornalista explicou ao Jornal Hardmusica que tem "uma relação com o Delfim há 20 anos". Durante estas duas décadas "passou-me umas informações que deu uma reportagem porreira" e em 2012 "fiz um trabalho com ele, quando estava na cadeia de Monsanto", altura em que "estava embrulhado na contagem das penas" pelos crimes cometidos dentro da prisão. Tudo isto "são coisas que se constroem ao longo de uma vida", frisou.

terça, 14 Nov. 2017 10:00 – domingo, 31 Dez. 2017 17:00
Campo Grande 245, Lisboa, Lisboa

terça, 14 Nov. 2017 10:00 – domingo, 17 Dez. 2017 18:00
Campo Grande 245, Lisboa, Lisboa

captcha