Espectáculo de videomapping assinala os 300 anos do Convento de Mafra

quarta, 23 agosto 2017 01:56 Escrito por 
Espectáculo de videomapping assinala  os 300 anos do Convento de Mafra opção Turismo

A fachada do Real Edifício de Mafra vai transformar-se, nos dias 01 e 02 de Setembro, sempre pelas 22:00 horas, numa grande tela de projecção de um espectáculo de “videomapping” assinalando os 300 anos do monumento.

À “primeira pedra” da Basílica, lançada a 17 de Novembro de 1717, caberá o papel de narrador no espectáculo audiovisual que numa linha do tempo, cruza os principais factos associados ao monumento, com momentos marcantes da história de Portugal, divulgou a Câmara de Mafra, coorganizadora das comemorações do tricentenário do Edifício.


Pela fachada do monumento mandado construir no século XVIII pelo rei João V passarão figuras históricas e personagens fictícias (algumas delas tendo por base a obra “Memorial do Convento”, do escritor José Saramago), para contar as estórias relativas à obra de um rei que é, também, a obra do povo que lhe deu corpo e alma.

O espectáculo integra as comemorações do tricentenário do lançamento da primeira pedra daquele monumento, assinalado com um programa que está a ser desenvolvido desde Novembro de 2016 e que se prolonga até 17 de Novembro deste ano.


Em Setembro, terá lugar uma visita à Tapada de Mafra e um concerto a seis órgãos, na Basílica, programado para dia 03, actividades radicais no Terreiro, de 22 a 24 e uma noite de porta abertas na Escola de Armas, que inclui, no dia 29, uma visita aos subterrâneos.

No mesmo mês, o programa completa-se com mais dois encontros do Ciclo de Conferências no Palácio Nacional de Mafra. A primeira realiza-se nos dias 14 e 15, sob o tema “A ciência está em Mafra”. A segunda será nos dias 27 a 29, versando sobre “A Encomenda de D. João V”.


Construído em pedra lioz da região, o palácio ocupa uma área de perto de quatro hectares, compreendendo 1.200 divisões, mais de 4.700 portas e janelas, 156 escadarias e 29 pátios e saguões.

Integra um paço real, uma basílica, um convento, um hospital monástico, um jardim e uma tapada.


Convém salientar que integra uma das mais notáveis bibliotecas do século XVIII; a mais importante colecção de Escultura Barroca em Portugal e os dois carrilhões maiores do mundo, constituídos por 98 sinos afinados musicalmente entre si; e o único conjunta conhecido de seis órgãos de tubos concebidos para utilização simultânea.

Foi classificado como Monumento Nacional em 1910.

Modificado em quarta, 23 agosto 2017 02:03