IBTM: Portugal "soube interpretar os sinais internacionais"

IBTM: Portugal "soube interpretar os sinais internacionais"

IBTM: Portugal "soube interpretar os sinais internacionais" Jornal Hardmusica

A trigésima edição da IBTM World, feira de turismo de negócios de Barcelona, teve um crescimento de empresas no espaço do Turismo Portugal.

Esta feira é constituida por "espaços e oportunidades para as empresas", explicou o responsável do Stand do Turismo Portugal, Joaquim Pires, ao Jornal Hardmusica.

Joaquim Pires afirmou que "existe uma maior vontade, por parte das empresas, em estar presentes", sendo que o ano passado "estiveram 42 e este ano 56".

Este crescimento deve-se "à importância que o Turismo de Portugal dá" ás mesmas, sublinhou.

O responsável destacou "o Turismo 4.0, as startups e a internacionalização", sublinhando que "estamos a criar ecosistema".

Para Joaquim Pires, Portugal "passou de um destino de lazer, para um de incentivos, apresentação de produtos", entre outros.

Isto aconteceu, porque o nosso país "soube interpretar os sinais internacionais", destacando "cada vez mais apetência portuguesa para dar resposta aos projectos a desenvolver em Portugal", sublinhando que "temos uma capacidade de elasticidade".

Os 52 agentes, presentente na feira, têm "pela primeira vez o calendário completamente cheio de reuniões", afirmou Joaquim Pires.

Portugal tem um "turismo diferenciador e não competitivo", afirmou o responsável de Feiras e Incentivos do Turismo de Portugal.

As suas apresentações são feitas "em nome de 11 milhões de habitantes", frisou.

A tudo isto acresce uma mais valia, que é o facto de "amo aquilo que faço", e que "com a tarefa que tenho, sinto-me uma pessoa rejuvenescida", desabafou Joaquim Pires.

Sobre a profissional e o trabalho que tem resolvido no sector, o dirigente do Turismo de Portugal, afirmou que "prezo um carinho profissional pela Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho", destacando o trabalho da friação de um site, "que com dois ou três cliques, podem saber tudo sobre o que se faz em termos de Turismo de Negócios em Portugal". Acrescentou que "mesmo não sendo da area, tem feito um extraordinário trabalho".

Joaquim Pires concluiu explicando que para um bom destino de negócios è necessário "boas ligações aéreas, facilidade nas acessibilidades rodoviárias, boa cultura e o adn do portugues - o bem receber".

Nenhuma evento encontrado.
captcha